Você sabe conversar?

16 de novembro de 2013 Por Silvana Bianchini

Usar as palavras com habilidade é essencial no mundo dos negócios. Você pode ser um profissional brilhante, mas se comete erros gramaticais, de pronúncia e de vocabulário, se engole palavras, tem uma inflexão falsa ou uma voz desagradável, terá dificuldade em persuadir os outros a aceitar suas ideias ou a comprar seus produtos. Pode até mesmo ser esquecido quando se tratar de promoções e aumentos. Falar demais, interromper seu interlocutor para contradizê-lo ou sufocá-lo com opiniões categóricas e sair distribuindo conselhos, sem que ninguém os tenha pedido – tudo isso deve ser abolido da conversação. “Para criar um clima de cordialidade, é preciso que o diálogo obedeça a um ritmo natural, um vaivém inteligente de réplicas, uma espécie de torneio no qual cada jogador tem a sua vez”, diz Martha Calderaro em seu livro Etiqueta e Boas Maneiras (Editora Nova Fronteira).

 

gente conversando

 

E se você quer realmente manter a boa convivência no trabalho e se preocupa em preservar sua imagem, aprenda a conversar, não exagere no tom de voz e nos gestos. Saiba ouvir, evite excesso de familiaridade (ou de franqueza), fofocas, reclamações e indiscrições. Também não há quem aguente mau humor, puxa-saquismo e autopromoção. Tem mais: fuja de gírias, expressões estrangeiras, jargões técnicos e, claro, palavrões e piadas longas ou de mau gosto.

Silvana Bianchini

SOBRE O AUTOR:

Silvana Bianchini, AICI, FLC, CPBS -Sócia fundadora do projeto Imagem Pessoal, Diretora da Dresscode Consultoria de Imagem, expert em gestão de imagem contribuindo há 15 anos em educar profissionais sobre sua aparência e comportamento através de cursos, treinamentos e consultorias.

Site: http://www.imagempessoal.com.br